Pandemia torna a sustentabilidade mais importante para 62% dos brasileiros

Levantamento mostra que mais da metade da população alterou seu comportamento de compras
06 dezembro 2021
sustentabilidade reciclagem lixo reciclavel
diretora
Kesley
Gomes

LinkQ Solution Director Latam, Brasil

Entre em contato
Nos últimos anos, falar a respeito de sustentabilidade e adotar medidas que colaboram com o meio ambiente deixou de ser um diferencial para transformar-se em uma obrigação. Os estudos Who Cares Who Does (WCWD) e Consumer Insights 2021 mostram que a pandemia de Covid-19 fez muita gente refletir sobre os impactos humanos na natureza. 

De acordo com os levantamentos, 62% dos consumidores brasileiros afirmam dar mais importância à sustentabilidade hoje e mais da metade declara que houve alteração em seu comportamento de compras. Além dos impactos causados pelo próprio vírus, fatores como crises hídricas, falta de insumos, aumento dos preços e escassez de itens contribuem para esse resultado e reforçaram a necessidade de preservar o meio ambiente.  

Os compradores que se preocupam muito com o assunto e estão tomando as medidas necessárias para reduzir o desperdício são chamados de Eco Actives. Há também os Eco Considers, que demonstram preocupação com o tema, mas nem sempre agem em prol da causa. Um terceiro grupo, batizado de Eco Dismissers, pouco se preocupa com a preservação ambiental.

Atualmente, os Eco Actives representam 8% da população brasileira, com um impacto na cesta de FMCG de R$ 7,9 bilhões. O grupo vem crescendo desde 2019, e as projeções indicam que ele representará mais da metade (56%) da população mundial nos próximos 10 anos. No Brasil, um em cada cinco consumidores terá esse perfil. 

Alerta para as empresas 

O crescimento da parcela da sociedade mais engajada com sustentabilidade desperta um alerta para marcas que, atualmente, apresentam baixos desempenhos de vendas com Eco Actives. Por isso, companhias que não abordam o assunto com responsabilidade correm o risco de perder cada vez mais espaço no mercado no futuro.

Marcas que atendem demandas de sustentabilidade e comunicam seus esforços crescem de duas a sete vezes mais rápido com esse grupo de consumidores. Entretanto, ganhar a confiança e passar credibilidade são ações que levam tempo e requerem esforços. 

Marcas que desejam implementar mudanças relacionadas ao tema devem ficar atentas aos comportamentos e às necessidades dos clientes. No Brasil, por exemplo, observa-se que as pessoas valorizam fatos como a redução de plásticos, a adoção de embalagens retornáveis e o uso de produtos naturais e orgânicos. Os Eco Actives também analisam o impacto de consumir leites e derivados, descartáveis (como fraldas e lenços) e protetor solar. 
 
Entre em contato
Conteúdos Relacionados
No Brasil, número dos que têm pouca preocupação com meio ambiente cresceu em dois anos, contrariando tendência global
Compradores comprometidos com o meio ambiente já são maioria, mas alguns assuntos ainda causam confusão